Silviah Carvalho
 "Sobrará culpa aonde faltar o amor... Não se culpe, Ame"
CapaCapa
TextosTextos
FotosFotos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


O amor

Quando a paisagem em minha frente tornar-se real
E a aurora apresenta-se mais bela que o ocaso e puder com
Minhas mas mãos tocar a lua e acende-la, então crerei
Que há amores impossíveis e apagarei da minha vida o sol
 
O amor governa absoluto e supremo como o carvalho
Possui profundas raízes, dele nasce à que desafia
O amor derruba o conhecimento e fortalece a crença
A fé anula resultados, ela manda, o ser humano confia
 
Quando um punhado de feno for mais precioso que o ouro
E a muralha que vejo a frente se transparecer como vidro
E puder atravessá-la, como num portal e pegar o feno em
Lugar do ouro então; crerei no amor que não pode ser vivido
 
O amor vê, porém não enxerga, escuta, mas não dá ouvido
Conhece a razão e despreza as conseqüências, percebe o
Limite e vai ao extremo. O amor é paciente, nunca desiste
Incansável ele mostra a raiz: a lembrança e assim insiste
 
O amor gera frutos eternos saudades, de sabor inigualável 
Carinho, aparência irresistível você, moradas tranqüilas
Seus braços, maná que alimenta, seus lábios, alegria sem fim
Sua presença, esperança viva e constante ter você pra mim
 
Quando o sol se por e na noite, brilhar á presença da lua
Minha alma inquieta e nua, exposta ao firmamento mostrará
Que meu amor por você é tão grande quanto é explicito.
E todos verão e saberão que,  tudo é possível ao amor.
 
Mas que isto, infelizmente (!) não me é lícito
 

Silviah Carvalho
Enviado por Silviah Carvalho em 26/01/2010
Alterado em 27/01/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários