Silviah Carvalho
 "Sobrará culpa aonde faltar o amor... Não se culpe, Ame"
CapaCapa
TextosTextos
FotosFotos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


Assim Seja
 
Todos os dias algo morria dentro de si,
Era apagada a luz daquela lembrança,
Cada dia um pouco mais perto do fim,
Palavras não digna de um ser humano,
 
Palavras profanas, insultos que lhe
Arrebatava a alma em desamor
E desapreço, distância já era vista como
Um unguento, em que se deixava ungir.
 
Viu o rio dentro de si, mas veio a razão
E mergulhou em seu espirito, lavando tudo,
Limpando seu ser, retirando o amor
Que sentia por você e a vida que existia...
 
Neste imorredouro sentir, deixou de existir,
Ou, acabou de morrer, assim o amanhã recebe
Cores que a tempos não via, desde quando olhou
Para você, como pôde desprezar as cores!
 
Ah! Desprezamos até amores, sucumbimos
Ante qualquer açoite, navegamos, voamos,
Andamos e nada de concreto avistamos,
Nada! A vida pede a ausência do peregrino...
 
Aquele que era menino e que infelizmente
Continua ser. No tempo oportuno, onde tudo
Muda de cor, saberá encontrá-lo por
Promessa e não mais por amor.
 
E buscar a dracma perdida,
O amor verdadeiro, as palavras certas,
O respeito mútuo, como deveria ser...
Agora é o seu mais importante e
Profundo dever, Amém.
 
Silviah Carvalho
Enviado por Silviah Carvalho em 29/11/2016
Alterado em 29/11/2016

Música: christina_perri_a_thousand_years_official_music_video_mp3_65612 - Desconhecido

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários